Imigração e Diversidade em SP

projeto “A influência da imigração na cultura do Estado de São Paulo” tem como objetivo promover e ampliar o conhecimento a respeito da diversidade cultural existente no Estado em suas diversas características: música, dança, festas e celebrações, patrimônio histórico, artesanato, gastronomia e língua. 


Cerca de 4,5 milhões de pessoas imigraram para o Brasil entre 1882 e 1934. Destes, 2,3 milhões entraram no Estado de São Paulo pelo porto de Santos e subiram a serra rumo ao interior para trabalhar nas fazendas de café. 

A riqueza proporcionada pelo cultivo do café nas terras paulistas alterou muitos costumes e práticas culturais. Da agricultura aos objetos domésticos, modos de vestir, de falar, pode-se dizer que o século XIX foi o primeiro período de verdadeira revolução cultural. 

As heranças deixadas por esses povos – incluindo espanhóis, italianos, japoneses, judeus, portugueses, sírios e libaneses – compõem aspectos vivos da cultura paulista, marcada fortemente pela sua diversidade. 

Essa variedade cultural pode ser facilmente identificada nas festas, nas artes, no artesanato, na culinária e no patrimônio histórico. 

Ao evidenciar a presença da imigração no Estado de São Paulo, o Instituto Nacional Unimed em parceria com a Unimed Fesp busca chamar a atenção para a importância das culturas estrangeiras no nosso dia a dia e contribuir para a promoção da diversidade cultural, a tolerância e o sentimento de união entre os povos.

 

Para isso, será realizada uma pesquisa histórica referencial sobre a imigração e seu o reflexo cultural no Estado de São Paulo.


A pesquisa será transformada em uma exposição itinerante, que passará por seis cidades, com entrada gratuita, e resultará em um livro-catálogo com tiragem de mil exemplares, a ser enviado a centros culturais, escolas e bibliotecas públicas.

 

Para saber mais informações sobre o projeto acesse: www.fespcultural.com.br